Experiências na Ilha da Magia

………Na correria dos últimos meses, mal tenho conseguido tempo para escrever como gostaria. Felizmente, tive a oportunidade de passar viajando o feriadão do Dia das Crianças e Dia do Professor, feriado este que tenho muito orgulho em comemorar. Pois bem, comprei passagens de ônibus, reservei hostel e fui me aventurar em Florianópolis, capital de Santa Catarina.

DIA 1
……….Embarquei no dia 11 de outubro, véspera do feriado, no final da noite, chegando à cidade no dia seguinte já de manhã, me dirigindo ao Eco Box Hostel, onde fui muito bem recebida com café da manhã. Guardei minha mala e comecei a explorar a cidade. Fui conhecer o mirante próximo à Ponte Hercilio Luz, percorri a Beira Mar, caminhei e conversei com alguns moradores e da cidade que, para minha surpresa, também eram gaúchos. Retornei ao hostel, descansei um pouco e depois segui para o Centro Histórico de Floripa.
………Devido ao feriado, muita coisa estava fechada, mas insisti em aguardar o Mercado Municipal abrir para conhecer ao menos alguma coisa naquela manhã, sendo o mesmo local onde almocei. Naquela semana estava ocorrendo a Feira de Ostras, um evento local muito interessante que pude também conhecer. à tarde percorri mais ruas da cidade e alguns lugares abertos. Visitei o Palácio Cruz e Souza e seus jardins, a Catedral Metropolitana de Florianópolis e a Praça XV de Novembro,  onde há uma linda e antiga e o Monumento aos mortos do Paraguai. Após a agradável, mas chuvosa tarde, retornei ao hostel para descansar. À noite, visitei mais uma vez o mirante, tendo uma diferente perspectiva da cidade.

DIA 2
……….No dia seguinte, acordei bem cedo e peguei uma bicicleta emprestada do hostel para ir um pouco mais longe. Por duas horas percorri mais uma vez a Beira Mar, terminando o passeio no Forte de Santana. Ao retornar ao hostel, após conversar com outro viajante durante o seu café da manhã, decidimos ir juntos explorar mais uma vez o centro da cidade. Para minha alegria ele também adorava viajar, tirar fotos e conhecer a cultura local. Após o almoço, juntos, caminhamos pelo centro da cidade, visitamos a Igreja Nossa Senhora do Parto, o Mercado Público e a feira que estava acontecendo, a Igreja do Rosário, o Teatro Álvaro de Carvalho e a Igreja da ordem 3ª de São Francisco, parando no Café Kiwi, uma tradicional cafeteria bem próximo à catedral, para o café da tarde. Além de sermos super bem recebidos pela Simone, dona do estabelecimento e também gaúcha, pudemos conhecer um pouco de sua história de vida e da cafeteria. provei um rocambole feito com claras e morangos divino, além de um cookie de chocolate e um café com leite. Ao retornar ao hostel, preparei uma massa para o jantar para os novos amigos do hostel, sendo um momento muito agradável e significativo. Como chovia muito, não tínhamos muita opção para sair naquela noite.

DIA 3
……….Mais uma vez acompanhada do novo amigo viajante, fomos conhecer Santo Antônio de Lisboa. Pegamos um ônibus o centro e, em cerca de 40min já estávamos no famoso local ocupado por açorianos que recebeu as primeiras Sesmarias na cidade, por volta do século XVIII. Visitamos a Igreja Nossa Senhora das Necessidades, onde inclusive estava ocorrendo um casamento. Conhecemos a praia, a Praça Roldão da R. Pires e percorremos algumas ruas à procura de casas construídas durante o período colonial, parando para almoçar no Café Açoriano, onde também fomos muito bem recebidos pelo casal de donos.
………..Nos dirigimos mais uma vez ao centro de ônibus, pois parecida que iria chover a qualquer minuto e nos despedimos já próximo ao centro. Naquele dia estava acontecendo uma apresentação da Esquadrilha da Fumaça na Beira Mar e havia muito movimento de carros. Desci do ônibus e resolvi caminhar mais um pouco pela cidade até o hostel, chegando bem na hora da chuva. Junto com outros amigos, pedimos pizza e passamos a noite jogando cartas, algo propício a se fazer numa noite chuvosa.

DIA 4
……….Somente no meu último dia de viagem o sol resolveu finalmente aparecer. Antes de me despedir dos novos amigos, acompanhei alguns até as praias de Jurerê Internacional e de Ponta Grossa, onde queria muito ir para conhecer a Fortaleza da Ponta Grossa. Caminhamos pelas praias e pela fortaleza, encerrando aquela manhã com um ótimo almoço no Boteco Caravela, onde tivemos uma deliciosa sequência de camarão e anchova grelhada. Terminado o passeio, foi a minha hora de me despedir dos novos amigos, retornar ao hostel para pegar minha mala e me despedir dos outros amigos.

……….Já em casa com as malas desfeitas e pronta para dormir, não há como não repassar esses quatro dias de viagem. Conheci pessoas ímpares e muito queridas, das quais pretendo continuar a manter contato, mesmo que a distância. Embarquei sozinha para uma viagem que não me senti sozinha. Foram momentos de muita aprendizagem, pois sentia a necessidade de viajar e conhecer um novo local, mas voltei com outra bagagem na memória. Uma bagagem de experiências vividas que só quem viaja, e está aberto para conhecer novos lugares, novas culturas e pessoas, é agraciado de carregar.
……….Sim, foram apenas quatro dias. Pouco tempo para um viajante num novo lugar, mas espero retornar em breve à famosa Ilha da Magia e me hospedar novamente no Eco Box Hostel, pois me senti em casa. A escolha pelo hostel enquanto eu planejava a viagem foi praticamente instantânea quando conheci a proposta dos boxes ecológicos, algo que nunca havia experimentado, e não me arrependi. Mesmo num ambiente compartilhado, temos nossa privacidade. Sem contar que os colchões são super confortáveis, o banheiro é amplo e limpo e tem café à disposição 24h por dia, além do ótimo atendimento.

Deixe uma resposta